segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Por Onde Andei...

Bateu-me ao rosto,
A velha brisa delicada que,
Há tempos fazia-me tanta falta.
São nostálgicas lembranças de uma década
Que ainda rasga-me o peito em euforia plena.
Ah, que saudades de ti!
De quando outrora fazias parte de miha vida,
Ou talvez por assim fingir ser por conveniência seu
dono.
A dualidade de sua via,me fez “livre”e,
Ao mesmo tempo “prisioneiro” na
Contradição que carregas em seu nome.
Em sua calçada amei e fui amado!
E por vezes ...
Gozei demasiadamente em emoções
Ao caminhar sobre o seu asfalto calejado.
Rumo ao meu amor maior.
E, só agora,
Ao me deparar com a suavidade serena
De sua brisa nostálgica.
Pude perceber o quão verdadeiramente fui feliz!
Mesmo que agora eu esteja só,sozinho...

( Alexandre Matheus )

Nenhum comentário: